Xtratime Community banner

1 - 2 of 2 Posts

·
Canonized
Joined
·
37,734 Posts
Discussion Starter #1
Really happy for Edu winning his first Premiership title. The press gave man of the match for Parlour, but honestlly i thought Edu was the man.

That lob over Veron and that dribble over the argie were really cool;) :D :cool: Plus he commanded the passing in the arsenal midfield!;)

Sunday is another title coming.........then the next wednesday too!!!!!;) :cool: :D :D :D :D
 

·
Canonized
Joined
·
37,734 Posts
Discussion Starter #2
The first Brazilian to win the Premiership!!!;) ;)

here is an interview after the game for Gazeta esportiva


Por Raul Flávio Drewnick

Às vésperas de completar 24 anos, Eduardo Gaspar, o Edu campeão mundial pelo Corinthians, acaba de conquistar duas coroas na terra da rainha. Jogando pelo Arsenal, o volante ganhou a Copa da Inglaterra no último final de semana e nesta quarta-feira garantiu o campeonato inglês ao vencer o rival Manchester.

Atencioso, o jogador falou, com exclusividade à GE.net, sobre o título inédito para um brasileiro. Comparou as concentrações e os treinos ingleses com os brasileiros, contou que recebeu uma ligação da CBF na época em que Emerson Leão era o treinador e explicou um pouco como está mixando música eletrônica ao bom e velho sambinha.

Freqüentador de peças teatrais em Londres, Edu admitiu não conhecer muito sobre os dois mais novos volantes de Felipão: Gilberto Silva e Kléberson. Mesmo assim, o brasileiro confia muito na seleção.

Feliz pelo sucesso obtido no exterior, ele abriu seu baú de recordações e falou sobre o Mundial de Clubes da Fifa, que conquistou no Corinthians, e também lamentou sua maior frustração: não ter disputado a Olimpíada de Sydney.

GE net: Qual a sensação de desbancar o tricampeão Manchester no Campeonato Inglês?
Edu: Entre os jogadores não se comenta sobre desbancar o Manchester. O nosso principal objetivo era ser campeão.

GE net: Qual a importância de se tornar o primeiro brasileiro a ser campeão inglês?
Edu: Hoje, aqui, todos estão comentando sobre esse fato inédito... Para mim é ótimo porque o campeonato inglês é muito difícil e muito reconhecido no mundo.

GE net: Você acha que com esse título você será mais lembrado aqui no Brasil?
Edu: Saí cedo do Brasil, mas acho que eu tenho nome forte porque joguei em um grande clube e ganhei grandes títulos.

GE net: O que os ingleses têm falado da seleção brasileira?
Edu: Antes, estavam decepcionados pelas derrotas, mas, depois do jogo contra Portugal, começaram a mudar de opinião.

GE net: E você, confia na nossa seleção?
Edu: Confio e todos os brasileiros deveriam acreditar. Aqui na Europa, eles respeitam e sabem da qualidade do jogador brasileiro.

GE net: Conhece o trabalho dos dois mais novos volantes do time do Felipão, Gilberto Silva e Kléberson? Qual a sua opinião sobre eles?
Edu: Daqui não dá para acompanhar de perto os campeonatos no Brasil, então não posso falar muito a respeito. Espero que eles façam um bom trabalho.

GE net: Na Inglaterra, já recebeu algum contato de alguém da CBF ou da comissão técnica? Você acha que tem menos chance de chegar à seleção jogando na Inglaterra e não em outro país da Europa?
Edu: Na época em que o Leão era treinador, recebi uma ligação, mas fora isso nunca recebi nenhum contato ou coisa parecida. Sobre ter menos chance, acho isso uma bobagem. O Arsenal é uma forte equipe e tem jogadores de varias seleções. Só da seleção francesa, que hoje é a melhor do mundo, são quatro jogadores. Portanto, a experiência e o aprendizado aqui é muito grande.

GE net: A seleção inglesa está mesmo com um grande time? Como o país esta reagindo em relação a contusão do David Beckham?
Edu: Eles possuem um grande time, com grandes jogadores. Sobre a contusão do Beckham todos estão muito tristes e torcem para que ele volte em tempo.

GE net: No Brasil, os jogadores costumam comemorar suas vitórias em casas de pagode. E na Inglaterra, eles têm uma cultura de pubs ou de clubs de música eletrônica, por exemplo? Conte um pouco sobre os momentos de descontração dos jogadores.
Edu: Aqui, em termos de descontração, temos tantas opções quanto no Brasil. Fazemos de tudo. Eu, por exemplo, nos meus dias de folga, procuro passear por Londres. Não temos problemas de freqüentar nenhum lugar, mas eu não gosto de ir aos pubs.

GE net: Que tipo de música inglesa você aprecia?
Edu: Não gosto muito da música inglesa, continuo gostando de música eletrônica para dançar e, para descontrair, um sambinha.

GE net: E os treinamentos e concentrações? Há muita diferença na preparação dos times ingleses para a dos brasileiros?
Edu: Eu acho que isso depende de treinador para treinador. Por exemplo, o Arsène (Wenger, do Arsenal) não gosta muito de treinos físicos. Ele prefere os coletivos com o campo reduzido de apenas um toque ou dois na bola. Na concentração aqui, não temos um segurança por andar como no Brasil. É muito mais tranqüilo. Às vezes, quando o jogo é em casa, nem concentramos.

GE net: Quem são os seus melhores amigos na Inglaterra?
Edu: Me dou bem com todos os jogadores e tenho alguns amigos fora do futebol também.

GE net: Em outra entrevista, você mencionou freqüentar peças teatrais. Desde que está na Europa, mudou algum hábito ou passou a apreciar alguma outra manifestação cultural?
Edu: Mudei um pouco porque aqui, com o calendário sério, tenho muito mais tempo para fazer outras coisas fora do futebol. No meu tempo livre, procuro ir aos teatros e conhecer Londres. Procuro aumentar o grau cultural.

GE net: Quais as diferenças entre as torcidas brasileiras e as inglesas?
Edu: As duas são apaixonadas. A única diferença é que os ingleses são mais pacientes.

GE net: E os hooligans?
Edu: Não sei porque eu nunca vi nada parecido.

GE net: Quando você está em algum restaurante ou passeando pelas ruas, qual o tipo de abordagem que recebe dos torcedores ingleses?
Edu: Normal... autógrafos, fotos etc...

GE net: Não ter ido para a Olimpíada de Sydney foi a maior frustração da sua carreira?
Edu: Sem dúvida. Eu estava vivendo um grande momento no Corinthians e todos naquela altura falavam que meu nome seria certo para a Olimpíada. Não me testaram nem em amistoso...

GE net: E a maior emoção? Foi o gol de pênalti na final do Mundial de Clubes da Fifa em 2000?
Edu: Foi muito bom, porque vivi grandes emoções na minha curta carreira e é difícil falar de todas.

GE net: Tem acompanhado o trabalho do Parreira no Corinthians? Há alguém com quem você ainda mantém contato, ainda que via internet, dos tempos de Timão?
Edu: Acompanho o máximo que posso e sei tudo o que se passa. Mantenho bastante contato, principalmente com o Kléber e com o professor Ricardo Rosa.

GE net: Como foi a convivência com o também ex-corintiano Silvinho? Foi importante na sua adaptação inicial na Inglaterra?
Edu: Foi muito legal e ele me ajudou em muitas coisas. Quando cheguei no Arsenal tinha muitas dúvidas e ele sempre estava por perto para me orientar. Além de ser um bom amigo.
 
1 - 2 of 2 Posts
Top